Abandone o pensamento de escassez

Abandone o pensamento de escassez

 

André Lima

 

Autoajuda

 


Abandone o pensamento de escassez, foque na abundância

Existe uma tendência natural no ser humano de ir em busca de pensamentos negativos e dar força a eles. Temos muita abundância no mundo, em todas as áreas, mas vemos uma grande parte das pessoas focando o seu pensamento no que não há. É o foco na escassez. Vou explicar melhor.

Certa vez fui agendar um worskhop de EFT em uma determinada capital. Trocando informações com uma pessoa interessada no curso, ele mostrou disponibilidade em divulgar o evento e, em troca, ganhar um determinado percentual de desconto no pagamento do seu próprio curso para cada aluno novo que conseguisse trazer.

Pois bem. A divulgação começou a ser feita. Ele estava super animado, com uma boa expectativa. Mas, Os resultados não foram o esperado. Vi então que ele ficou bem desaminado. Falou pra mim que as pessoas ligavam mas que achavam o curso muito caro. Eu respondi que era normal, as pessoas falam isso. Ele tinha que passar confiança.

Expliquei que o workshop vale bem mais do que a pessoa investe e que eu acredito nisso realmente. Ele teria que passar isso também para os candidatos a alunos.

Depois ele falou que ia ter um feriado no mesmo final de semana, e muita gente ia viajar, por isso, estava difícil conseguir alunos. Depois deu mais uns dois argumentos justificando o desânimo e se conformando mesmo que não ia conseguir os alunos. Para ele, os motivos eram bem plausíveis.

Vendo toda essa negatividade resolvi parar e escrever um email dizendo mais ou menos assim:

“Prezado Fulano, é verdade que muitas pessoas vão viajar no feriado, e estas, certamente não estarão presentes. É verdade também que muitas pessoas vão achar caro e que realmente não podem pagar. É também verdade que, tem várias pessoas que podem pagar, mas que não se dispõem a pagar.

Tem ainda o fato de que muitas pessoas não conhecem a técnica, não dão valor a esse tipo de trabalho e etc, etc, etc....

Mas vamos fazer o seguinte calculo. Na sua cidade, existe bem mais que um milhão de habitantes. Desse total, tem um numero enorme que se encaixa no seguinte perfil: 1) Não vai viajar o no feriado. 2) Tem um nível de renda suficiente para pagar. 3) Se interessam por esse tipo de terapia. 4) Se dispõem a pagar mesmo achando caro. 5)Tem ainda muitos que tem uma renda bem alta e que podem pagar com muita facilidade e que adoram este tipo de trabalho.

Peneirando a população da sua cidade, vamos dizer, numa conta bem pessimista, que tenham 10.000 pessoas que se encaixam nesse perfil. Bem, eu só tenho vaga pra 40 pessoas, no máximo! O seu trabalho é encontrar essas 40 pessoas. O único desafio é este: tocar estas 40 pessoas – captar através dos anúncios e argumentar a favor para que elas decidam fazer.

Se tem 10.000 que podem fazer, porque que ficar pensando no restante dos hum milhão e tantos mil que não podem? As pessoas que não vão estar na cidade, os que não tem dinheiro, os que não dão valor, esses não são o meu público! Não vamos perder tempo com eles. Vamos achar os 10.000! Com esse público, mesmo que eu ministre um curso por semana na sua cidade, não darei conta da demanda.”

Ele gostou bastante dos argumentos. Perceberam a diferença do foco? Foque no que existe, pare de pensar no que não há. Se você fizer isso vai encontrar os clientes, o parceiro, o sócio, os amigos que deseja.
Ministrei o worksho, não ficou lotado, mas um tive retorno razoável.

Faltou apenas tocar mais pessoas para ser um sucesso absoluto. Se a turma não ficou na lotação máxima, a causa não foi em absoluto, a falta de pessoas em potencial.

Ouço o tempo inteiro de terapeutas e profissionais de outras áreas, argumentos semelhantes, justificando a falta de sucesso na profissão : as pessoas não tem dinheiro, ninguém valoriza o trabalho, a agenda tá difícil de preencher, e etc...

É o foco na escassez. Certa vez escrevi para uma aluna de um worskhop que ministrei no no Rio de Janeiro, que também foi minha cliente de terapia. Fernanda tem apenas 18 anos, e decidiu começar a trabalhar como terapeuta. E ela já tem preparo suficiente pra isso, mesmo sendo tão nova. Para incentivá-la escrevi o seguinte (trecho do email enviado):

“Muitos vão dizer: as pessoas acham caro, ninguém valoriza, etc, etc, etc... Sim, certamente tem muitos que pensam assim. Porém, você tem que pensar na abundância, e não na escassez. Os que acham caro, os que não dão valor, esses não são os seus clientes por isso não gaste seu tempo e pensamento com eles. Os seus clientes são as pessoas que estão prontas, que dão valor e que se dispõem a pagar. E tem muita gente. Esqueça o restante.

Pra atingir esse objetivo de prosperar bastante, é preciso que as pessoas saibam do seu trabalho, das técnicas que você usa, e precisam também saber o quanto esse trabalho pode ajudá-las. E agora que você está nessa fase de transição, seu trabalho, em tempo integral pode ser trabalhar para divulgar ao máximo, de todas as formas possíveis, além de investir tempo em leitura e cursos também, claro. Você precisa fazer coisas que os terapeutas mal sucedidos não fazem. Para ter resultados melhores, precisa fazer coisas melhores e diferentes.”

Esse tipo de pensamento vale para todas as áreas. Vejo também mulheres dizendo que não tem homem no mercado, que só tem gay, ou homem casado, ou então homem que não presta. Ou ainda tudo junto: é gay, é casado e não presta! E partir daí justificam o fato de estarem sozinhas e frustradas.

Eu creio que no contrário. Eu conheço mulheres que sempre conseguem bons relacionamentos. Quando acabam um, logo tem vários bons pretendentes. As vezes aparecem também umas “malas”, mas não são a maioria. Já outras, passam anos sem conseguir um namorado sequer, mesmo sendo mulheres bonitas e inteligentes. Quando não temos um resultado de abundancia, é porque tem algo nos nossos pensamentos, sentimentos e atitudes que não está trazendo o resultado que desejamos.

Quando alguém tem poucas amizades, é também fácil justificar: as pessoas são falsas, ninguém tem tempo, todo mundo só pensa em si, e etc... No entanto, conheço pessoas com uma facilidade extrema de fazer amigos e que vivem rodeadas deles. Isso ocorre porque os pensamentos, sentimentos e atitudes dessas pessoas levam a esses resultados. O mundo que ela vive é o mesmo que o seu. O que diferencia é o seu interior.

Comece a focar na abundancia. Quando não tiver um resultado que você gostaria, pense que a causa não é a falta, é sim você mesmo, seus pensamentos, sentimentos e atitudes. A nossa tendência é culpar algo externo além das nossas capacidades. Assim não temos que olhar para os nossos defeitos e falhas. É uma forma de dizer “eu não tenho culpa”.

Aprenda com quem tem sucesso na área. Veja o que essas pessoas fazem de diferente. Observe como elas pensam, sentem e agem e você conseguirá resultados melhores, seja em que área for. Leia livros especializados em relacionamentos, sucesso financeiro e etc... Esse aprendizado pode levar tempo. Mas, é algo que está dentro do que você pode fazer. A abundância existe, mas só acessa quem está preparado!


André Lima
E-mail: andre@eftbr.com.br
Celular: (81)8721-2534






Total de visitas: 159605